Cármen (prod. Mojo)

from by Sarcasmo

/

lyrics

Cármen, apercebi-me que te odeio
E escrevi o teu nome no meu peito só para dizer que te odeio...
Não sei se resulta,
Mas decidi morrer por ti para ver se morres afogada em culpa
Então puta, não te reges pela tua justiça?
E ainda manténs esse teu sorriso frio e calculista...
Os homens para ti são brinquedos,
E eu só não fui mais porque tu não me deste trevos..
Não, não estou a insinuar nada,
Tu não és bode expiatório, tu és cabra, caga
Cármen... Eu sei que faço merda, e queres que pague,
Mas quando é que um certo se fez com dois errados?
Ri-te à vontade da piada que não tenho
Enquando te entreténs com a frustração do teu rebanho…
E nunca te esqueças que embora seja estranho,
Lá pelo jogo ser teu não quer dizer que eu não ganhe, Cármen...

Cármen...

Cármen...

Cármen, acho que esqueci o perigo
De descobrir a diferença entre o que sinto e o que te digo...
Eu sei que não devia, é verdade,
Mas adoro a frieza com que condenas sem piedade,
E estamos condenados ao fracasso
Se eu te dou tudo o que tenho, e nunca te serve o que faço...
Não faço mais do que te dar desculpas esfarrapadas?
É a ironia do destino se eu me esfolo em prol de nada
Cármen, se te divertes com esta situação
Não esperes que algum dia eu te peça perdão, não...
Não te vou dar essa satisfação,
E ainda me rio na tua cara da minha frustração...
Então? Azia desse lado?
Tens 4 estômagos, digerir isto não é complicado...
Ok, é um bocado... Mas já devias ter entendido,
Eu posso arder no Inferno, mas vou-te levar comigo... Cármen...

Cármen...

Cármen...

Cármen…

credits

from Noites Calmas, Dias Felizes, released July 7, 2011

tags

license

about

Sarcasmo Aveiro, Portugal

Sarcasmo olha para o mundo com olhos de descrença e fatalismo e é isso mesmo que (d)escreve, saboreando o travo amargo de cada ironia da vida como se fosse a última; vivendo cada história triste que conta com um sorriso, como se fosse a última.

contact / help

Contact Sarcasmo

Streaming and
Download help