Sombra (prod. Deloise)

from by Sarcasmo

/

lyrics

(Dias de merda...)

Brinquemos ao faz de conta...
(3x)

Então?...

Ando a pegar fogo à minha vida…
Bota gasolina, e pode ser que eu queime toda a euforia…
Pode ser que eu me entregue a ela, mas não devia,
Porque ou fujo de ti ou ardemos em sintonia...
E sinto que um dia talvez mude,
Mas agora ando ocupado a ser a quem não quer ser muito,
E a perder cada minuto a lamentar o sucedido,
P'ra perder mais um minuto a lamentar tempo perdido...
Ando sempre pela berma da estrada do meu destino,
Se a vida me passar ao lado é a ironia do caminho...
A ironia que te mata se não entendes
Que jurei-te que não bebia mais, não te jurei que bebia menos...
Lamento, não vale a pena por muito que me peças,
Tenho um talento natural p'ra quebrar promessas...
E prometo essas palavras que o tempo não levou,
Mas nunca esperes mais de mim do que o que eu sou...

Mas não, não esperes que não me esconda
Se o nosso mundo tomba, não vou sair da redoma
Dá-me só uma razão p'ra renunciar à soma
Eu não sigo sou passagem, então força faz a conta
Mas não, não esperes que não me esconda
Se o nosso mundo tomba não vou sair da redoma
Dá-me só uma razão p'ra renunciar à soma
Sombra sombra, reza p'ra que me envolva

E se as palavras fossem nossas?
Eu juro que te dava a minha parte se fossem nossas...
Então goza, mas goza bem o pouco que tu notas,
No entanto eu escrevo o torto em linhas tortas..
Essas linhas mortas ainda abrem cicatrizes
Entre Noites Calmas e Dias Felizes,
Que dizes? Vou saboreando sereno e sozinho
O meu copo meio-vazio que vou enchendo de vinho...
Se te entendo adivinho quando te escondes em cores,
E dançamos o tango dos dissabores…
Entre o arco-irís que queres e o cinzento que te dou...
Já te disse, nunca esperes mais de mim do que o que eu sou...
Mas vou provar que tudo é possível,
No dia em que me convencer que não compensa ser invisível...
Mantém essa fé incrível acesa se fores capaz,
Enquanto eu espero que o tempo passe e me deixe p'ra trás...
E durmo, pode ser que amanhã não acorde,
Se acordar e te esquecer recorda-me que não te recorde...
E esquece-me, age como se nunca me tivesses visto
Que só acreditas nos teus olhos, se não me vês eu não existo...
Quero acreditar nisso, mas se não der insiste
Preciso duma desculpa p'ra desistir, então desiste
É tudo bem mais fácil se me deixares entre o nada
Eu não vou ficar sozinho, a minha sombra não me larga..

Mas não, não esperes que não me esconda
Se o nosso mundo tomba, não vou sair da redoma
Dá-me só uma razão p'ra renunciar à soma
Eu não vivo sou miragem, então força faz a conta
Mas não, não esperes que não me esconda
Se o nosso mundo tomba não vou sair da redoma
Dá-me só uma razão p'ra renunciar à soma
Sombra sombra, brinquemos ao faz de conta

Brinquemos ao faz de conta,
(3x)

Mas não, não esperes que não me esconda,
Não esperes que não me esconda…
Brinquemos ao faz de conta,
Brinquemos ao faz de conta,
Brinquemos ao faz de conta,
Vamos ser muito felizes, eu e a minha sombra...
(2x)

…Eu e a minha sombra.

credits

from Noites Calmas, Dias Felizes, released July 7, 2011

license

tags

about

Sarcasmo Aveiro, Portugal

Sarcasmo olha para o mundo com olhos de descrença e fatalismo e é isso mesmo que (d)escreve, saboreando o travo amargo de cada ironia da vida como se fosse a última; vivendo cada história triste que conta com um sorriso, como se fosse a última.

contact / help

Contact Sarcasmo

Streaming and
Download help